Um Diálogo Com O Lirismo Fotográfico De Juliana Claridade

fotostudio.jpg

Um Diálogo Com O Lirismo Fotográfico De Juliana Iluminação


De costas pros espectadores, o goleiro flamenguista Júlio César desponta como um Golias diante da pequenina Suri Davi. E eis que Suri toma localização, progride para a bola e - a câmera de Juliana Claridade captura o instante imediatamente anterior ao gol e à consagração pré-mirim de Suri. Içada em arco, a perna direita de Suri estará à iminência de bater o pênalti - para sempre. Reparem que a experiente artilheira pré-mirim sequer olha pra bola; Suri mirará o goleirão Júlio César como que a driblá-lo com o ver - para todo o sempre. Certa vez, o escritor francês Henri-Marie Beyle (1783-1842), bem como denominado como Stendhal, sentenciou que a arte é uma perspectiva de alegria.


A imagem-coágulo de Juliana Luz - um quase-gol, um já-imediatamente-gol - não apenas promete como exerce a alegria ao abrir um sorriso espaçoso diante da centroavante de vestidinho florido. O lirismo da fotógrafa/caçadora de borboletas localiza o baú do tesouro de um dos mais incríveis aforismos do filósofo alemão Peter Pan Nietzsche (1844-1900): “Maturidade do adulto: recuperar a seriedade da guria ao brincar”.



  • Encontre possibilidades pra não gastar em tão alto grau no vestido
  • O conquistador
  • Você acredita pela ‘sorte de hoje’ do Orkut
  • Exposições Fotográficas


Confira comigo no replay: foi, foi, foi, foi, foi ela - Suri, a craque da camisa número 11! Ela Exibe Novas Imagens eram jogados redondos quarenta e cinco minutos da segunda etapa. Agora: Corinthians 1, Flamengo nada - o Corinthians está perto, muito perto, perto mesmo de obter teu oitavo título nacional! Octávio Muniz, o que é que só você viu? [Juliana Luz me revela que Suri é o equivalente iídiche pra Sarah, a esposa de Abraão e matriarca do povo judeu, no Velho Testamento.


A Luz do obturador da câmera de http://www.healthncure.net/?s=fotografia (funde e confunde) tempos imensos. A angústia do que poderia ter sido e a aposta no que conseguirá ser? É como se a fotógrafa e dançarina de tango Juliana, com o obturador-obstetra de sua câmera, tivesse dado à Luminosidade os seguintes versos do poeta anglo-americano T.S. E o tempo futuro contido no tempo passado.


Todo o tempo é irredimível. Tendem pra um encerramento, que é a toda a hora presente. 3. ¿Hoy sufro solamente? Yo no sufro esse dolor como César Vallejo. Yo no me combate ahora como artista, como hombre ni como simple ser vivo siquiera. Este Procedimento é Conhecido como Interpolação como católico, como mahometano ni como ateo. 8 Dicas Para Sair Mais Linda Em Imagens . http://smilefotosnahora.com.br llamase César Vallejo, también sufriría este mismo dolor.


Referência: http://smilefotosnahora.com.br

Si Um Papo Com Duas Vanguardistas Do Pós-web , también lo sufriría. http://smilefotosnahora.com.br , también lo sufriría. Si no fuese católico, ateo ni mahometano, también lo sufriría. https://soundcloud.com/search/sounds?q=fotografia&filter.license=to_modify_commercially sufro desde más abajo. Juliana Iluminação nos apresenta Pandora em sumo sofrimento - o organismo agônico e prostrado tem inveja de teu reflexo que não dói, de sua imagem especular que só faz mimetizar a aflição que deveras não sente.