Dez Erros Mais Comuns Em uma Dieta Para Perder calorias

Como perder de gordura Facial Muito rapidamente


retrato-de-um-homem-negro-bonito-3290532

DilemaComo organizar, de uma vez por todas, a lista de convidados do casamento? A leitora Brunna Silva passou do manequim cinquenta pro trinta e oito com a socorro do chá termogênico que leva gengibre, cravo e canela. A bebida aumenta o gasto calórico durante a digestão e elimina o inchaço pela localidade da barriga.


Lista De Alimentos Sem Carboidratos

Brunna Marques Silva, trinta anos, analista, São Paulo, SP, tem 1,66 m e foi dos 98 kg pros 65 kg. Foi um golpe muito duro da vida. Encontrar que meu rapaz recém-nascido era portador de uma perigoso doença no sangue me deixou transtornada. O Yuri não poderia se diminuir, esbarrar ou ter outros tipos de ferimentos visto que sangraria mais que o normal e a hemorragia poderia colocar sua vida em traço.


A partir daquele momento, passei a viver pra ele. E, para segurar a barra, corria pra comida. Era minha válvula de escape. No momento em que me dei conta, estava pesando noventa e oito kg! Cheguei a permanecer tão grande e inchada que minha aliança de casamento não entrava mais em nenhum dos dedos! Durante três meses, usei pendurada na correntinha do pescoço.


Meu marido, o Kayo, nunca alegou nada a respeito meu excesso de peso. Até que em junho de 2012 encostei nele e fiz um pedido: “Amor, vamos trocar minha aliança? Ele respondeu na lata: “Amor, não irei trocar. A mulher que se casou comigo usava esta aliança aí. Olha o tamanho da sua barriga! Congelei por alguns segundos. Sem ação, não respondi nada. Me virei e fui para o quarto, surpreendida.


O Kayo veio atrás de mim pra pedir desculpas, mas eu comentou que não precisava, uma vez que ele tinha justificativa. Aquela resposta foi pesada, no entanto bem como foi transformadora. Eu precisava daquele sacode. Foi por isso que minha guerra contra a obesidade começou. Prometi para mim mesma que meu marido teria a esposa dele de volta.


Comecei a namorar o Kayo quando tinha quatrorze anos. Na época, arrasava com meu corpo humano violão. Tinha pernão e peitão e ficava contando vantagem a respeito as amigas magrinhas. Cresci mantendo minha bacana forma até que, aos 23 anos, parei de menstruar. Fiz os exames e fui diagnosticada com um tumor na hipófise, a glândula que regula os nossos hormônios. Graças a Deus, meu caso não era tão delicado. Nem ao menos precisei de cirurgia.


Somente tratei durante 2 anos com medicamentos. O tumor foi repercussão de anos e anos misturando anticoncepcional com medicamento para emagrecer. Era sendo assim que eu controlava meu peso. Todavia, com o diagnóstico, fui proibida de comer cada tipo de hormônio, inclusive anticoncepcional. Aí, além de engordar, um ano depois, em 2008, engravidei.


E passei a ficar mais gordo sem parar. Eu estava com 81 kg e acumulei mais dez kg com a gestação. Com a notícia da doença do meu menor, e também não me tomar conta para perder os quilos extras da gravidez, acumulei mais sete kg num piscar de olhos. Descontrolada emocionalmente, devorava quatro pãezinhos por dia. Comia chocolate branco o tempo todo e fazia pratos enormes no almoço e no jantar.



  • Vitamina B5
Pão Low Carb
O progresso é acompanhado toda semana. Ajustes podem processar-se nestes tempos
um - Insira frutas em sua alimentação
Coe e beba neste instante
Contraia o abdômen e comece a descer em direção ao solo(figura dois)
Controle do Apetite
1 colher de sobremesa de linhaça dourada moída

Adorava fritar aquelas iscas congeladas de frango e consumir a caixa toda assistindo a vídeos. E não tomava água, só refrigerante. Eu neste instante estava usando manequim 50 e fingia que nada estava acontecendo. Até o dia do capítulo da aliança, quando meu marido me abriu os olhos. No dia seguinte, quando comecei a dieta em segredo, sem revelar ao Kayo nem sequer a ninguém, fiz a pesagem e tirei as medidas pela clínica médica onde eu trabalhava.


Eu estava com 115 cm de circunferência pela região do abdome, dá para acreditar? Calculei meu IMC, o índice de massa corporal, e deu trinta e nove, o que caracteriza obesidade mórbida grau 2. Que horror! Aí, calculei assim como qual seria meu peso adequado e tracei a meta: pesar 65 kg. Estipulei vinte e nove de dezembro de 2013 como prazo, dia em que eu completaria trinta anos. Eu tinha um ano e meio para me transformar. Respirei fundo, me enchi de raciocínio positivo e fui correr atrás do prejuízo! Pesquisei sobre dieta pela web e em revistas e cheguei à conclusão que o melhor seria reduzir o carboidrato, o açúcar e o refrigerante.


Fui bem radical: só comia proteínas. Nada de arroz, frituras, massa, pão… Cortei assim como o feijão e o leite integral. Meu cardápio novo tinha muito frango, ovo, queijo branco e folhas. Assim como passei a beber pelo menos um litro de água por dia. Ah, e fazia uma hora de esteira diariamente!