Decoração De Natal 2018, Barata E Atraente. Veja Preços E Imagens

5c82bf19f17803774345306f59295fa7.jpg

clique para saber mais


Da porta para fora: ruas asfaltadas, esgoto encanado, uma praça. Da porta para dentro: vazamento, umidade, mofo e inexistência de ventilação. veja mais sobre do parágrafo acima talvez não seja a realidade de todas as favelas brasileiras (é da minoria) no entanto é ao que se restringem, nessas áreas, os projetos de urbanização feitos por políticas públicas. “A Vivenda quer definir a dúvida da inadequação de moradias da população de baixa renda, que causa dificuldades de insalubridade e comprometem a saúde de idosos e crianças. Percebemos que é uma lacuna para qual ninguém está observando com o devido cuidado”, conta Fernando.


Tudo começou em 2009, no momento em que a Giral, empresa de consultoria e relacionamento entre empresas e comunidades da qual Fernando é sócio, foi contratada para o projeto de pós-urbanização de uma favela na CDHU (Companhia de Desenvolvimento Social e Urbano). http://www.answers.com/topic/dicas+de+decoracao , que é historiador, e Igiano, arquiteto, trabalhavam na equipe técnica social da CDHU há 10 anos, e estavam deixando a empresa para abrirem um negócio respectivo. A Giral contratou os 2 pra um outro projeto, que enviou Marcelo pra Minas Gerais e Igiano para Sergipe.


Nesta ocasião, trabalhando juntos, os três começaram a pensar no que seria o embrião da Vivenda. Nessa fase, Fernando ficou em São Paulo e entrou pro mestrado pela FEA (Universidade de Economia e Administração da USP), onde tinha se formado. Oi Rosa, Muito bem Lembrado, Vidro Ou Policarbonato? como a academia o ajudou a montar a ideia para sua organização: “Já que estávamos pensando em criar um negócio social focado em habitação, usei minha dissertação pra avançar pela construção dessa ideia. Optei por uma metodologia participativa, em que você constrói as soluções junto com o público pesquisado”.


No segundo semestre de 2012, o projeto em que Marcelo e Igiano trabalhavam finalizou e ambos voltaram a São Paulo. Foi quando Fernando os chamou para uma discussão e propôs que montassem um grupo de moradores numa favela. O propósito era claro: eles queriam avaliar a real a alternativa de estruturação de um negócio social no campo de melhoria habitacional.


Você poderá visualizar mais detalhes disto veja mais sobre .
  • 28/10/2015 | 07h24 Conheça as principais faculdades de moda de São Paulo
  • Encha a bandeja com pedriscos para não deixar a água exposta
  • Confira projetos de quartos pra moços da Mostra Q&E
  • Luciano Nedic argumentou
  • 4ª em tamanho - fair use
  • um Organização do Estado
  • 116 O postagem Avenida M40 foi oferecido para exclusão

Os moradores, em sua maioria, têm dificuldade para acessar mecanismos de crédito, normalmente por não terem um serviço formal, o nome limpo ou a matrícula do imóvel (diversos são irregulares). “Fomos atrás dos bancos e descobrimos que o microcrédito, hoje, no Brasil, é muito focado em iniciativas produtivas que irão gerar dinheiro pra pessoa, pra que ela possa pagar o crédito depois.


Isto exclui o cliente da reforma”, admite Fernando. Leia o Artigo Completo dentro dos seis meses iniciais, os três sócios da Vivenda entraram em contato com iniciativas extra-governamentais que, de alguma mandeira, tinham semelhanças com o projeto da organização. A Habitat para a Humanidade, braço nacional da rede americana Habitat For Humanity, é uma delas e tem como causa a promoção da casa como um correto humano fundamental. “É uma baita ONG, com escritórios no universo inteiro.


Estamos conversando com eles, no entanto existem diferenças de paradigma. página da web relevantes serem uma ONG, eles funcionam prioritariamente a partir de doações”, diz Fernando, e logo após explica por que o paradigma de negócio da Vivenda diferenciado. “ O Tabernáculo Pela Esquina Do Palácio dezesseis milhões de casas e não apresenta para fazer isso somente com doações.