Antes Inimiga Das Dietas, Gordura Ganha Espaço E Divide Nutricionistas


O personal trainer e lutador de artes marciais mistas (MMA) Eder Soares, 34, acorda antes das 6h, atende seus compradores até as 10h e só aí vai tomar café da manhã: ovos, bacon e café preto. Depois ele treina jiu-jítsu, luta olímpica e MMA. Pelas 15h, almoça: bisteca, picanha ou outra carne gorda, queijo e um tanto de arroz ou macarrão, num total de um,5 kg de comida. Acabei de me lembrar de outro website que também podes ser vantajoso, leia mais infos por esse outro postagem lineshake reclame aqui, é um ótimo site, creio que irá amar. A última refeição do dia é quase a mesma coisa.



Soares adotou uma corrente nutricional que vem ganhando espaço: a de que a gordura poderá ser a mocinha, e não vilã de uma dieta saudável. Bioquimicamente citando, faz sentido. Segundo a nutricionista e pesquisadora da USP Sophie Deram, essa má-fama cresceu perante vasto ação de estudos da década de 1970 que associavam as gorduras, principalmente as saturadas, a doenças cardiovasculares. Ou seja, até recentemente culpava-se a gordura da dieta pelo exagero de gordura corporal, contudo os mecanismos de utilização da gordura ingerida e da estocagem em células adiposas (formando pneuzinhos) não estão necessariamente relacionados. O novo oponente seria o excesso de carboidrato, macronutriente que ganhou espaço nos cardápios depois da demonização da gordura 40 anos atrás.



Entre exemplos de carboidratos estão pães, arroz, batata, macarrão, biscoitos e bolos -quer dizer, tudo aquilo que, após a digestão, se torna açúcar no sangue. Pesquisas mais novas indicam que o exagero de carboidrato é que é importante pro acrescento de gordura no sangue (triglicérides), o que, por tua vez, aumentaria o risco cardiovascular.



O nutricionista Leopoldo Leão, entusiasta de dietas à base de gordura, quase virou a pirâmide de ponta cabeça ao colocar a gordura como apoio, seguida por proteína e lineshake reclame aqui pouquíssimas porções de carboidrato. Salada, legumes e frutas bem como estão fora de sua dieta, pro arrepio de muitos nutricionistas. A adaptação foi acessível para Eder Soares, que cresceu em uma fazenda pela área rural de Inocência (MS), cidade com menos de dez 1 mil habitantes. Após preparar-se educação física, ele passou a suspender a bandeira de que a dieta à apoio de gordura, aliada à atividade física, é a melhor maneira de atingir a maneira física ideal.





    1. Um grupo de moderada / alta intensidade (AI)


    1. quatro Técnico da Argentina


    1. Cheiro verde, pimenta do reino e azeite pra temperar


    1. 4 - CADEIRA FLEXORA


    1. dois Dia Café da Manhã


    1. quinze por cento Desconto Corpo maravilhoso: Agosto 2013 - Vale Presente (Cupom)


    1. De quiabo cortado em rodelas




corporatecostreductiony-vi.jpg


Um dos pontos fortes da dieta é o sentimento de saciedade após a refeição: "Se você come 500 g de carne gorda, vai demorar muito mais para ficar com fome do que 500 g de arroz e feijão", diz Leão. A vantagem é reduzida pela versão vegetariana da dieta com gordura, baseada em ovos, amendoim e manteiga como fontes da substância, confessa o nutricionista.



As dietas de alta gordura e miúdo carboidrato, porém, têm resistência por cota de outros profissionais e questionamentos baseados em estudos científicos. Estudos populacionais ligam o consumo de carnes vermelhas e processadas ao acréscimo de mortalidade e à de chance de ter câncer. Além do mais, não há pesquisas de enorme seguimento (por décadas) que deem respaldo científico a este e a quase cada outro tipo de dieta. Outra crítica é o aumento da motilidade intestinal induzida na grande quantidade de gordura,que poderá causar diarreia e flatulência.



Segundo o lutador Eder Soares, é preciso um estágio de adaptação para que o organismo consiga digerir tanta gordura. Leão adota um viés otimista: "As pessoas que sofrem com intestino aprisionado, geralmente as mulheres, naturalmente irão mais ao banheiro ao ingerir mais gordura". De acordo com o profissional, para emagrecer não adianta só comer mais bacon, bisteca e picanha -ou a pessoa engordaria ainda mais, com duas grandes fontes de energia. Dizimar as porções de carboidrato é fundamental, pela posição do nutricionista. Daí surge outro defeito, segundo Sophie: dietas restritivas tendem a não funcionar muito bem. Outro problema, diz, é a formação de tristeza por não poder ingerir certos alimentos. Sophie apelidou este tipo de recomendação restritiva de "terrorismo nutricional". Leão tenta seguir pela mesma linha natural, contudo à sua maneira.