21 Fachadas Com Alma Brasileira


Como definir um modo de construção tipicamente brasileiro? Penoso, por causa de são tantas as influências que esse povo abriga de ocas indígenas e abrigos de pescadores a casas coloniais e em tipo eclético.is?-RLsPtrpFMfpYWOK-i8UZktvfZayBQ3AfzuJk Sendo assim, fica menos difícil perceber uma alma brasileira, que permeia a variedade de estilos das residências que trazem em si os traços da nossa história. Viaje por estas vinte e um fachadas, que são um bonito modelo desta diversidade. A ideia que norteia esse projeto é confundi-lo com a paisagem do litoral de Pernambuco. Tarefa consumada na cobertura de capim santa-fé, amarrado no madeiramento do telhado e mantido ao natural. A varanda é sustentada por vigas e pilares roliços de maçaranduba, reforçando o semblante rústico da construção.



Composto por um único bloco, e com uma cobertura enorme e pesada, ela lembra uma oca indígena. Projeto de Cláudio Bernardes e Paulo Jacobsen Associados. O clima de construção antiga resulta de uma minuciosa pesquisa: o arquiteto procurou e selecionou materiais de demolição característicos do colonial mineiro para criar esse refúgio em Tiradentes, MG. Telhas antigas forram o telhado, com 4 águas.



As esquadrias descomplicado com os vidros para fora são típicas daquele tempo.is?-RLsPtrpFMfpYWOK-i8UZktvfZayBQ3AfzuJk A pintura assim como respeita os hábitos da época: as paredes são cobertas de cal e as portas e as janelas têm a coloração inspirada nas tintas acessíveis, feitas com pigmentos naturais. Projeto de Gustavo Dias. Pintura caiada, cacos de azulejos e elementos vazados, recursos da nossa tradição, foram valorizados num projeto engenhoso de reforma, que adicionou sessenta e dois m² a esta moradia de linhas contemporâneas no litoral norte paulista. A construção original contava somente com o bloco da sala (à direita). Hoje a fachada exibe a pintura caiada rosa e os cobogós. Voltada pra face nordeste, ela recebe o sol da manhã.



Projeto de reforma de Joan Villà e Silvia Chile. Decidida a salvar a centenária construção no litoral do Paraná, a proprietária empreendeu locação de plataforma elevatória uma reforma de fôlego. O rosa-esmaecido, que outrora tingia as paredes, foi substituído por um vermelho-vivo, mais a olhar com o atual espírito da moradia, hoje palco de animados encontros nos finais de semana. Durante a obra, portas e janelas carcomidas pelos cupins foram reconstruídas de acordo com o desenho original, e os caixilhos receberam tinta verde. Insuficientes pra cobrir o telhado, as telhas antigas assim como serviram de molde pra um novo lote de peças. Projeto de Marcelo Willer e Luiz Alberto Grosso.



  • Tratamento de esgoto: até R$ um.645,oitenta e oito

  • Pintura e revestimentos

  • José benedito da silva falou

  • dois Especialista dá informações para usar de modo correta versão empresarial do WhatsApp

  • Halls internos menores, mal iluminados e apertados prejudicam o corrimento do chi


Concebido de acordo com os princípios do tipo eclético, que foi moda no início do século dezenove, esse casarão, em Recife, foi salvo das ruínas na reforma que recuperou suas feições originais. Na fachada, os lambrequins (enfeites de madeira) foram reproduzidos e voltaram a adornar os beirais. A caiação vermelha original também recuperou tua coloração plataformas elevatorias (www.grupoapc.com.br) viva. Esquadrias, tramelas e gradis de ferro foram recuperados.



O modo eclético, muito usado em casas do Nordeste do começo do século 19, era marcado pela funcionalidade, higiene e adaptação ao clima ambiente. São comuns as casas e os chalés elevados sobre o assunto porão. Projeto de reforma de Roberto Salomão e Ney Dantas. Por todo o canto, localizam-se elementos da arquitetura colonial nesta construção em uma localidade serrana. A fachada pintada de tom terra e azul fornece boas-vindas aos visitantes. Outra referência é a varanda com cobertura de caibros aparentes sustentada por uma suporte de maçaranduba pintada de azul.



Lembranças deste tipo estão também no telhado com águas prolongadas pelos beirais (90 cm). Isto faz com que a chuva seja jogada para distante dos alicerces, dispensando a instalação de calha. Projeto de Francisco Hue e Jorge Hue. Se chegou até neste local é pelo motivo de se interessou sobre o que escrevi nessa postagem, correto? Pra saber mais informações sobre o assunto, recomendo um dos melhores sites a respeito esse foco trata-se da fonte principal no tópico, veja aqui clique nste artigo. Caso precise pode entrar em contato diretamente com eles na página de contato, telefone ou email e saber mais. Erguido originalmente em 1978 e restaurado em 1999, esse sítio, nos arredores da capital amazonense, mantém suas feições originais. Foi fabricado a respeito imensos pilares de madeira e quase sem paredes como uma legítima palafita amazonense.



Desta forma, não há barreiras para a vista, a residência fica afastada dos bichos da mata e protegida das chuvas. Na reforma, o telhado, coberto com cavacos (lascas de madeira), recebeu uma versão atualizada nesse material: telhas de pínus, tratadas contra cupins e fungos. Projeto de construção de Severiano Porto e reforma de Roberto Moita. Diferenciado dos demasiado chalés peculiares da localidade serrana do Rio de Janeiro, esse é mais comunicativo.